fbpx
a arte de ser chefe

A Arte de Ser Chefe

A Arte de Ser Chefe é a arte de liderar. Ser chefe é ser a cabeça e a cabeça é quem vê, pensa e promove a ação visando o bem de todo o corpo.

O que é ser chefe?

Ser chefe não consiste em dar prova de vigor, de eloquência, de audácia ou habilidade. Ser chefe consiste essencialmente em saber como levar os homens a trabalhar em conjunto, em reconhecer e utilizar para o melhor os recursos de cada um, em indicar o lugar em que este ou aquele possa render mais, em dar a todos o sentido da sua solidariedade e da sua igualdade perante a tarefa que lhes está confiada nos diferentes postos de um mesmo grupo.

A Arte de Ser Chefe recomenda que o chefe deve ser reconhecido por sua presença e sua lembrança. O chefe sabe utilizar seu Modus Operandi para o bem comum e dirige com excelência o grupo a ele confiado.

Desde modo, sabemos que o chefe não precisa ter porte físico ou dotes de força extraordinária. Então, de que precisa para ser um chefe?

A missão do chefe

O impulso de qualquer lugar ou obra em que ele se coloque precisa ser o chefe, portanto, para ser um chefe torna-se necessário uma missão, uma causa, um motivo e assim aprimorar este desejo junto as qualidades já dadas por Deus para esta missão de ser chefe.

Chamado a conduzir e fazer-se obedecer, um bom chefe ainda faz-se amado e querido, pois exerce um símbolo de respeito. O chefe consciente de sua missão não precisa impor algo, ao contrário, precisa impor-se com sua lembrança.

Para ser chefe é preciso dar-se a todos e ser conhecido por seus sacrifícios.

A arte de ser chefe não é definida por sinais externos, mas por sua missão própria e seu encargo sobre os outros sob seu chefiado.

Por que precisamos de chefes?

A sociedade e o chefe

Uma sociedade sem chefes perecerá tão rápido quanto grãos de areia podem escorrer entre os dedos, desde modo, há uma grande necessidade de despertar chefes.

Sem chefes, reina a anarquia. Anarquia é o rosto da desordem e destruição, assim, o chefe é o ponto de ordem e unidade de uma assembleia. Ainda que não existissem outras necessidades para elegermos chefes, a ordem e a unidade são princípios que agradam a Deus e por si só, estes motivos bastariam.

Mas, em uma sociedade secularizada, sem ordem e desmoralizada, o papel do chefe tem uma importância ainda maior, pois a sua falta nos põe reféns do modernismo que avança nos âmbitos sociais e nas famílias.

As armadilhas contra o chefe

O papel do chefe na família

Sabemos que a família é um tesouro que deve ser guardado e ordenado pela influência de Deus e seus princípios e por desejo do próprio Deus, foi dado ao homem a responsabilidade de formar, educar e prover, no seio da família, os meios para alcançar virtudes sólidas.

Porém, nossa sociedade se afastou de Deus e de seus desígnios, e colocou entre eles uma barreira, decretou guerra às famílias que cumprem os desejos de Deus e ao chefe, que como protetor e provedor, sofre grandes represálias.

Armas ao chefe

Deste modo, é necessário ao chefe ter armas – morais e religiosas – para defender-se e defender a alma dos seus, pois esta guerra é mais sobrenatural do que podemos ver.

Virtudes de um chefe

O chefe, como já dissemos anteriormente, é alvo de ataques e ponto de ordem de uma assembleia. Um grupo sem chefe desmontará em questão de tempo, pois suas virtudes não serão bem extraídas e até a vontade mais enérgica será posta ao chão.

Por isso, a arte de ser chefe precisa de algumas virtudes inegociáveis. Tal são elas: a calma, o domínio de si, uma autoridade justa, a disciplina, a competência, a caridade, a diligência, o exemplo, a humildade e a firmeza.

Sem estas, o chefe pode arruinar um grupo ou uma família.

O segredo do chefe

Para ser um bom chefe existe somente um segredo: a resignação à vontade de Deus e o desejo de restaurar todas as coisas em Cristo. Pois longe da religião o mundo descende ainda mais em uma crise moral que não tem fim.

O espírito de Cristo animava e sustentava a sociedade antes da sociedade abandonar Cristo. A salvação terrena não é possível sem um regresso ao verdadeiro cristianismo, o autêntico, vivido por nossos antepassados em um século católico.

”Ser manso e humilde”, ”amar-se uns aos outros”, ”vir, não para ser servido, mas para servir” são as palavras do Senhor e por isto, formam um programa de verdadeira autoridade e obediência moral para o chefe.

Ser chefe, portanto, é uma missão magnífica se apoiada na graça divina e torna-se majestosa quando conduz os homens para o próprio Deus.

Recomendamos a obra

A Arte de Ser Chefe é uma obra destinada aos homens pois ensina sobre a liderança e a chefia que o homem deve exercer nos âmbitos da vida social. Usa de modo prático para explicar as virtudes necessárias, como adquiri-las e como bem utilizar delas. Destrincha parte por parte todas as artes envolvidas na arte de ser chefe e educa homens fortes para o cargo.

Desde os solteiros aos casados, seminaristas e sacerdotes, esta obra de Padre Gaston Courtois será de grande valia aos homens deste século e à toda sociedade que perece pela falta de bons chefes.

Nós, da equipe Caritatem, desejamos que esta obra produza frutos de virtude e santidade para restaurarmos a sociedade com espírito verdadeiramente católico.

Salve Maria.

Texto baseado em: A Arte de Ser Chefe

Leia também: O homem precisa ser chefe

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.