fbpx

GRUPO EXCLUSIVO PRÉ VENDA LIVRO ANTICOMUNISMO

EU QUERO ENTRAR!

A importância da família

Tempo de leitura: 3 min

A família não é somente importante para a sociedade, para a Nação, para o Estado, como também para a Igreja de Cristo. Não, o Papa não é a Igreja, ele é o chefe [visível] da Igreja. Os sacerdotes e os bispos não são a Igreja, são servidores da Igreja.

Mas a Igreja são estes milhões de fiéis fornecidos pelas famílias. O Corpo místico de Cristo, que nós chamamos Igreja, estaria mutilado, e seria desprezível se se compusesse só de sacerdotes e bispos, se se constituísse só de pastores sem rebanhos.

A fé e a pureza nas famílias

A força ou fraqueza da família cristã, com seu valor ou desvalor, com suas virtudes ou seus defeitos, crescem ou degeneram, também, a força, a beleza e o florescimento da Igreja, Corpo místico de Cristo.

Se nas famílias cristãs a fé e a pureza diminuem, a Igreja também se torna doente e anêmica; se, pelo contrário, a fé e a virtude são fortes em nós, a Igreja também floresce em beleza.

A sorte do Corpo místico de Cristo está ligada a sorte da vida familiar dos cristãos

A maneira com que eles ouvem a Palavra de Deus, observam os Mandamentos e se esforçam para caminhar, durante sua vida terrestre, sob a luz do Evangelho. É preciso, pois, falar, desta cátedra, acerca da família, é preciso falar muito, porque imensos interesses morais e religiosos dependem dela.

É preciso falar disso, porque estamos convencidos de que a luta empenhada contra a família é a arma mais poderosa do ateísmo materialista.

Mas estamos, também, convencidos de que a grande luta sustentada em defesa do ideal cristão não se decidirá, finalmente, nas ruas, nem na vida pública, nem no parlamento, mas sim no lar doméstico.

Quaisquer que sejam as desgraças externas, as provas e as perseguições que atinjam o reino de Cristo, Ele vencerá todos, enquanto houver famílias acolhedoras de Nosso Senhor abrigando-o no Santuário do lar cristão.
É, pois, preciso falar longamente do casamento e da família.

A pérola mais preciosa da humanidade, a de maior valor, é a família

Porque é de sua força e de sua energia que dependem a força e a energia da sociedade.

A vida familiar pode, também, perder o seu brilho e sua força nas mãos do homem, pode mesmo ficar completamente arruinada, e ela não recuperara sua força, enquanto não a recolocarmos em sua fonte primitiva onde se originou: sobre o pedestal de uma concepção séria e religiosa do mundo.

Quantas coisas abalaram a família atual: a crise econômica, o trabalho das mulheres e das crianças, a crise da habitação, as privações; o golpe, contudo, mais terrível Ihe foi vibrado por este fato doloroso: o de
se ter ela afastado de Cristo, pois, uma vez d’Ele afastada, perdeu sua base mais sólida.

Sejamos claros. A família sofre uma crise, mas ai chegou, porque se afastou da fonte da vida, do terreno religioso. A família, realmente, necessita de uma reforma, isso porém não e possível se não lhe dermos mais moral.

Há necessidade, para a reabilitação da família, de instituições sociais, de medidas legislativas, e do concurso do Estado, mas tudo isso seria inútil, se esquecêssemos o essencial: elevar novamente a vida de família à altura da moralidade.

Não fujamos á evidência do perigo

Se o ideal cristão do matrimônio e da família não recuperar a supremacia, se a opinião frívola e destrutiva, arraigada nesta questão durante as últimas dezenas de anos, continuar espalhando-se, não só ela prejudicará enormemente a religião, mas se tornará um perigo para a tranquilidade social e para o desenvolvimento cultural da humanidade.

Eis por que recordarei insistentemente nos sermões que se seguem, o fato de que as leis positivas divinas, no matrimônio, como em todas as outras questões, harmonizam-se perfeitamente com os desejos e as obrigações da natureza humana, e quando o homem as observa, não só obterá a salvação eterna, mas assegurará as bases de uma vida terrestre harmoniosa.

Se, porém quiser burlá-las abrirá ele mesmo as portas do inferno, e do sofrimento na terra.

Nada mais nos resta, senão levantar uma humilde prece ao Pai celeste, Criador da raça humana, Santo Fundador do matrimônio e da família, que nos assista com suas graças de luz e de força.
Amém.


Trecho extraído do livro “O Matrimônio Cristão”, de Mons. Tihamer Toth

Leia também o nosso artigo “Casamento e Paternidade – o amor que dá exemplo”.

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE A MAIS DE 100 MIL LEITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade