Modéstia católica

A modéstia Católica e o respeito à Santa Missa

Neste texto falaremos da MODÉSTIA CATÓLICA E O RESPEITO AO ASSISTIR À SANTA MISSA, atraves da piedade e da decência cultivadas na mulher.

Uma mulher, que entra na Igreja com um traje escandaloso, atrai todos os olhares, e queira DEUS não atraia também os corações. É importante fazer-lhes compreender o que é a modéstia católica e com que respeito devem portar-se na casa de DEUS.

Fazei agora uma reflexão bem séria e dizei: Quem sabe, de tantas Santas Missas a que tenho assistido em minha vida, quantas foram agradáveis a DEUS? Que vos responde a consciência?

A Igreja, é lugar de respeito, silêncio e oração. Senhoras, moças e meninas, devem usar saia ou vestido, que cubram os joelhos, de mangas e sem decotes, evitando também, as roupas transparentes. Não devem usar shorts ou calças compridas. As mulheres também rezem com o véu, conforme o preceito que vem dos Apóstolos – (1 Cor. 11,6). A Igreja é a casa de Deus, e a porta do Céu.

A Grande maioria das pessoas hoje, não tem noção do que seja realmente a modéstia Católica, para que ela serve, e os motivos que a imodéstia é tão prejudicial ao ser humano, à sociedade e à família.

As vezes ao simplesmente dizer o que é a modéstia exterior (vestimentas), muitas pessoas nos acusam de fariseus, de fundamentalistas e etc.

As pessoas estão habituadas a imodéstia

A primeira vista se torna algo distante do mundo daquela pessoa, algo quase impossível e incompreensível. Aos poucos, vamos percebendo o motivo disso ocorrer. A pessoa já vive nesta sociedade, nasceu e foi educada desta forma pelos pais. Estes que, aliás, se vestem da mesma forma imodesta – desde pequenas.

Estas pessoas não tem noção do que seja realmente a modéstia católica, e no que ela tem influencia, e acaba por achar que é algo descartável, ou ainda, que deve ser mais flexível e se adaptar com a moda atual e o mundo.

Porém, Nossa Senhora disse em Fátima:

“Hão de vir muitas modas, que hão de ofender muito a Nosso Senhor. As pessoas que servem à Deus, não devem andar na moda. A Igreja não tem modas, e Nosso Senhor é sempre o mesmo”

Finaliza a Mãe de Deus.

Meios pelos quais se diceminou

A “modéstia e o pudor” no campo cultural, possuem grandes inimigos: maçonaria, marxismo, feminismo, programas de televisão, moda imodesta e toda a indústria pornográfica. É verdadeiramente difícil encontrar pessoas que tenham real noção do tamanho do problema, porque elas simplesmente já nasceram inseridas nesta cultura neo-pagã e mundana.

Esta batalha cultural, está sendo totalmente e miseravelmente perdida, porque o mal articulou-se e organizou-se de tal forma criteriosa, promovendo a degradação moral e familiar. A modéstia católica se perdeu de tão ponto que uma roupa que era imodestamente chocante para uma avó, tornou-se absolutamente comum para as respectivas netas dela irem até mesmo assistir à Santa Missa.

Enquanto isso, por respeito humano, e pelo politicamente correto, para não se indispor com a maciça maioria, os católicos pouco ou nada têm feito para irem contra toda esta onda demoníaca (isso quando não acabam ainda incentivando tudo o que está errado!). A maioria maciça das pessoas, adaptaram-se à forma imoral de vestir-se de nossa sociedade decaída e, apegadas ao estilo sensual e atraente, não estão dispostas a mudarem.

A modéstia católica foi desconsiderada

Já no início do século XX, diversos papas, sequenciadamente, alertaram contra os perigos das roupas imodestas e imorais que estavam surgindo naquela época. Mas, ignorando os avisos dos papas e menosprezando a modéstia católica, a sociedade secular e os católicos mundanos e modernistas, responderam dizendo que o modo de vestir devia ser determinado pelos “costumes e estilos de tempo, lugar e circunstâncias”.

Há de se pensar aqui, que a imodéstia condenada por eles, os Papas, nem chega perto do que vemos hoje. A imodéstia condenada por eles, são alguns centímetros do vestido, ou o tamanho das mangas, ou ainda um pouco mais no decote.

Quem diria se estes mesmos papas e sacerdotes, tivessem presenciado o que nós vemos hoje nas ruas, em nossas casas, e tragicamente, dentro de nossa Igreja.

É realmente muito triste perceber que, mesmo depois de ser notavelmente evidente que houve uma grande degradação de valores morais e de caráter, este argumento continua a ser utilizado até hoje. Isto pelos católicos e não-católicos que pouco estão dispostos ou preocupados em melhorar a moral da sociedade, e de sua própria família.

Não estamos querendo dizer que seja errado se observar o costume, lugar e circunstâncias na hora de se vestir, pois afirmou São Francisco de Sales, Bispo e Doutor da Igreja:

“No tocante à matéria e à forma dos vestidos, a decência só se pode determinar com relação às circunstâncias do tempo, da época, dos estados ou vocações, da sociedade em que se vive e das ocasiões”.

Até porque, temos a certeza que ainda há possibilidade de se vestir com as circunstâncias e, mesmo assim, não se aderir de forma alguma à imodéstia mundana das vestimentas.

É possível considerar costume, lugar e circunstância sem ferir a modéstia católica

O problema, entretanto, está em seguir “costume, lugar e circunstâncias”, tomando por base e modelo a cultura e os costumes anticristãos e pagãos criados, ou então transformados segundo a vontade e imposição dos inimigos mortais da Igreja e das almas.

Neste sentido, há que se refletir seriamente, que existem ambientes que sequer deveriam ser frequentados pelos Católicos. Que se dirá, então, no que se diz respeito ao vestir-se em acordo com àquele “lugar e circunstância”. Parece justificável, por exemplo, que uma Católica vá a um baile funk de saia curta porque lá este é o costume? Ou ainda, que vá à praia usando biquíni se este é também o costume?

Mesmo assim, infelizmente, basta observamos um pouco, para notarmos flagrantemente que muitas “católicas” mundanas, ainda hoje, se justificam na forma imodesta de se vestir, argumentando que estão adequadas segundo o “costume, lugar e circunstância”.

Mas, certamente São Francisco de Sales não concordaria com isto; até porque, por mais que forçosa e desonestamente se afirme que, por exemplo, determinadas calças sejam modestas segundo o costume e cultura atuais, mesmo assim podemos dizer que são peças que ferem assombrosamente o pudor, e o mesmo se poderia dizer dos biquínis e tantas outras peças de roupas.

Como as virtudes não estão separadas, mas caminham juntas, é impossível que algo despudorado seja modesto.

A lógica é simples: os inimigos da Igreja planejam criteriosamente como destruir a moral, e vão conseguindo pequenos e sequenciados sucessos. Mas, enquanto eles certamente só ficariam satisfeitos quando vissem a sociedade chegando ao nível em que pedofilia, zoofilia, orgias, incestos e demais depravações fossem publicamente abertas e aceitas. A grande maioria dos católicos, por comodismo, covardia e falta de noção, ou tão somente por apego à vaidade e sensualidade, estão dispostos a continuarem oferecendo gradativas vitórias aos inimigos.

Assim, facilmente uma católica desta linha, não aceitaria a ideia do topless ou do biquíni, mas se a este fossem adicionados, literalmente, somente mais alguns pouquíssimos centímetros, já se sentiria “plenamente aceitável e moralmente justificada”.

Não seria de espantar, se ocorresse que a neta desta suposta mulher católica, já fosse naturalmente “adepta ao topless, mas contra o sexo público”, enquanto que a bisneta dela já aceitasse esta última opção sem maiores problemas. É a gradual e constante depravação dos costumes, da moral, e da vida humana, ao ponto de se chegar ao mais fundo do poço possível, e ainda mais além!

Se pensa que estamos exagerando, prontamente diremos que não! Pois, se tudo, para a sociedade e os falsos católicos mundanos, vier a resumir-se em nos adequarmos aos “costumes e estilos de tempo, lugar e circunstâncias” (de modo descuidado, e ignorando os valores verdadeiramente Católicos), chegar-se à aceitação da depravação completa. Torna-se apenas uma questão de tempo, visto que quem está ditando todas as regras, valores e costumes, são exatamente os inimigos da Igreja. Isto não parece ser tão óbvio?

Não é brincadeira

Que possamos observar como a degradação moral, a perda dos valores, os planos maçônicos, a secularização e o marxismo cultural, o gayzismo, a praga do divórcio, o aborto, a eutanasia, foram tão profundos, e conseguiram tão prósperos triunfos. Quando vemos emissoras de televisão, exibirem em suas grades de programação, sem nenhuma espécie de censura, mas, pelo contrário, de modo aberto e livre, matérias que são um verdadeiro lixo e desserviço aos homens. Aí, começamos a perceber a que nível chegou-se.

É aqui onde o “projeto de degradação moral”, realizado pelos inimigos da Igreja, alcança uma de suas maiores vitórias: quando começamos a encontrar “católicos” que defendem o imodesto como se fosse modesto. Resgatemos a modéstia católica!

Resgatemos a moral pela modéstia católica

Para vencer esta batalha cultural e resgatar os valores morais e Católicos, acreditamos que seja necessário uma grande força contrária a tudo o que é imodesto. Se houverem concessões, temos já total chance de perder completamente, pois o mal e os inimigos da Igreja jamais fazem concessões. Mas, pelo contrário, estão sempre impondo níveis morais cada vez mais devassos, e procurando corromper as pessoas já desde criança, e cada vez mais cedo.

Será possível, que reverteremos este quadro tão adverso simplesmente “adequando-se aos tempos atuais” e rejeitando, a cada ano ou tempo, apenas o que houver de mais imodesto?

Pensamos que não, e é aqui onde vemos o perigo. Se na época de nossas avós, calças coladas eram indecentes, e mostrar as pernas acima dos joelhos era coisa apenas de mulher vulgar ou prostituta, e nossa época não vê problema algum nisso, o que será visto como normal daqui a uns 50 anos? 100 anos?

Existem falsos apostolados que ensinam exatamente o que explanamos aqui de forma clara, ensinam que a modéstia varia conforme o tempo. Dizem que o que era escandaloso a alguns anos atrás, é modesto e tranquilamente aceito nos dias de hoje, por que temos que “nos adaptar” á época que vivemos.

E nós! Vamos remar contra a corrente? Ou vamos continuar seguindo o caminho largo, espaçoso, que conduz ao inferno?

Cuidemos de nossos filhos

Pais e mães, deveis ter cuidado antes de tudo da alma e depois do corpo dos filhos, educando-os segundo a Lei de Deus, os dez Mandamentos. Deveis guiá-los especialmente na adolescência e na juventude com o exemplo e a palavra, com a vigilância e a prece, com o amor e às vezes com a vara.

Com a retidão e a certeza, de os estarem levando para o Céu. Ai daquele que dá escândalo aos filhos! E ai de nós genitores, se permitimos aos nossos filhos dar escândalo em presença da sociedade.

A responsabilidade maior da moda indecente pesa sobre nós, pais, ou porque damos o triste exemplo dela, ou porque a permitimos sem remorso, ou porque somos demasiado débeis na educação dos nossos filhos. A vaidade e o desejo de agradar os homens, devem dar lugar à humildade, à mortificação, e ao amor a Jesus Crucificado.

Vamos ler com atenção, as duríssimas palavras de Nosso Senhor à Santa Ângela de Foligno:

“Ai de ti mulher pelos teus escândalos! Ai de ti que perdeste o pudor e a vergonha! Porque procedes assim? Porque me crucificas novamente com os cravos da tua imodéstia? Quando, de forma irrespeitosa, Me recebes na Comunhão, quanta amargura sinto ao entrar no teu corpo, que é motivo de tantos pecados nos homens e de mau exemplo para as poucas mulheres que tu, com desdém e desprezo, chamas “antiquadas”!

Santa Angela de Foligno, foi uma mulher mundana, escrava da moda e suficientemente rica para satisfazer todos os seus caprichos em perfumes, jóias, penteados, chapéus, pinturas e todo tipo de coisas usadas pelas mulheres da sua época.

Depois de passar pelo crivo da dor – depois de casada rica, morreram simultaneamente seu marido e todos os seus filhos – e da penitência, foi protagonista de uma impressionante conversão e mudança tão drástica de vida, que mereceu da JESUS estas visões e revelações, cujo resumo fizemos.

Abraçamos a modéstia católica por amor a Jesus

Estreita é a porta que conduz ao Céu e larga a que leva ao inferno; a maioria elege a última. Estar contra as modas indecentes e não as usar é muito difícil; é necessário muito amor para com Deus, para não se deixar arrastar por elas.

Frequentar praias hoje também é um grande problema. Hoje elas são mistas e a moral católica exige, que haja lugares distintos para o banho das mulheres e o dos homens. Cada sexo deve frequentar um lugar diferente ou o mesmo lugar, mas em horários diferentes. Hoje em dia é quase impossível, pois as praias são frequentadas por ambos os sexos em uma grande indecência e promiscuidade.

Eu sei que na cultura de hoje, onde mães levam suas filhas para volta às aulas, em roupas as quais suas filhas a tempos atrás seriam enviadas de volta para casa, pode impressionar alguns. Mas isso, é o que a moral Católica sempre ensinou, e nós não podemos ser Católicos, de medidas pequenas. Temos que dar tudo à Deus.

Disse a vidente Lúcia de Fátima:

“Nossas roupas, são feitas para ser uma proteção para os olhos e o coração, de modo que não nos permitamos ser capturadas pela tentação da carne, do diabo e do mundo”

Diz o Papa Bento XV:

“Desde este ponto de vista não podemos deixar de condenar a cegueira de quantas mulheres de todas as idades e condições; feitas tontas pelo desejo de agradar, elas não veem a que nível a indecência de suas vestes. Chocam a todo homem honesto, e ofendem a Deus.

A maioria delas teriam, em outras épocas, se envergonhado com esses estilos por grave falta contra a modéstia Cristã;e já não é suficiente que elas se exibam na via pública; elas não tem medo de cruzar as portas da Igreja, a assistir o Santo Sacrifício da Missa, onde recebemos o Autor celeste da pureza.”

(Fonte: Trecho da Encíclica Sacra Propediem de Bento XV).

Católicos, lutemos esta batalha!

É realmente difícil, conservar a pureza e a modéstia, em um mundo que anda descoberto.

Católicos simplesmente não parecem estar cientes de que, logo que Cristo instituiu a Sua Igreja, Seu Corpo Místico. O diabo da mesma forma organizou sua anti-Igreja, seu corpo corruptor e a sua arma mais eficaz foi a corrupção por dentro. O diabo, procura destruir a veneração que os fiéis sempre tiveram ao corpo casto e virginal de Maria, através do qual Cristo entrou neste mundo.

Nossa Mãe Santíssima, em todas as suas aparições, está totalmente coberta. É o maior exemplo de modéstia católica.

Mas por que as mulheres devem ser as primeiras vítimas do plano do Diabo? Porque as mulheres têm um sentido muito mais delicado de modéstia. E é exatamente por isso que o diabo se esforça para destruir o primeiro sentido da modéstia feminina. Esta que faz com que a feminilidade seja a guardiã da castidade no mundo.

Conclusão

Por fim, a Sagrada Escritura e a Tradição, são as duas bases sólidas sobre as quais se funda a Igreja de Nosso Jesus Cristo. Se alguém não as aceita, então, vai se basear em que? No seu modo de pensar? Nas máximas do mundo? Nas suas vontades? Mas quem age assim não é de Jesus Cristo. Quem age assim, não é Católico.

Fazei agora uma reflexão bem séria e dizei:

Das Santas Missas a que tenho assistido em minha vida, em quantas me vesti de forma que foram agradáveis a DEUS?

E fora da Igreja, minhas roupas e postura são testemunhos de que sou templo vivo de Nosso Senhor?

Que vos responde a consciência?

Senhor, dai-nos a fortaleza dos Mártires!

Nossa Senhora de Fátima, convertei os pecadores!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.