fbpx

Participe da Campanha Editorial “MODÉSTIA CATÓLICA"

Quero Participar

Como José preparou a casa de Jerusalém para receber Maria

Tempo de leitura: 2 min

Escrito por caritatem
em 05/05/2021

JUNTE-SE A MAIS DE 100 MIL LEITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Os seus dados estão seguros.

Compartilhe agora mesmo:

Nazaré, perdida num pitoresco círculo de colinas áridas e rochosas, não tinha absolutamente nada de importante. Umas poucas famílias de pobres lavradores moravam naquela terra queimada pelo sol. Pastores, com seus rebanhos, vagavam de contínuo pelos morros dos arredores em busca de pastagens por entre as moitas ressequidas. Alguns artesãos fabricavam os objetos indispensáveis de maior consumo, como sejam ânforas, jarras, louças, caldeirões.

Por um motivo ou por outro, todos já tinham visitado a oficina de José em Nazaré. Homem bom, trabalhador e alegre, consertava enxadas e pás, construía arados de madeira e jugos, arranjava carretas, trocava o cabo de velhos machados ou enxadões ainda aproveitáveis, consertava pés de mesas desconjuntadas ou empalhava cadeiras. José era conhecido de todos, que o estimavam porque era bondoso e não perdia ocasião de prestar algum favor a quem quer que precisasse.

As casinhas de Nazaré eram de uma simplicidade gentil: pequenas, quadradas, espalhadas ao longo da estrada poeirenta que ia da praça à fonte, pen­diam agrupadas do lado rochoso da colina; simples cubos brancos que sorriam, abrindo-se para pequenos quintais animados pela gritaria e pelos brinquedos das crianças. Maria e José moravam numa pequena aglomeração, perto de parentes do carpinteiro de Nazaré.

Cléofas, irmão de José, tinha quatro filhos: Tiago, João, Simão e Judas Tadeu. Maria morava num quartinho pobre, mas bem ordenado e asseado; olhando para o seu quintal, um pouco mais no alto, ficava a casa de José: a um canto do quintal, sob um telheiro, estava o banco de trabalho do carpinteiro, que guardava seus apetrechos numa escavação feita na rocha.

Apesar do muito trabalho que lhe solicitavam os moradores de Nazaré, José andava atarefado na organização de sua casa para acolher Maria. A lei prescrevia um ano de noivado e depois, para encerrar a cerimônia nupcial, havia a introdução da esposa em casa do esposo. Maria passava horas sentada a um canto do quintal, e se deliciava em fiar, cuidar dos sobrinhos de José que brincavam alegremente e conversar com seu noivo. Amiúde rezavam juntos os salmos, isto é, as orações e os cânticos mais belos da Bíblia. E viviam tranquilos na sua laboriosa e digna pobreza.

——

Trecho extraído do livro “A Mãe de Jesus: Vida de Maria Narrada aos Jovens”, Compilada por Milvio, SSP e adaptada por Gabriela Cavalcanti.

Esta biografia de Nossa Senhora será editada por meio da Campanha História Sagrada e Heroica para Crianças, uma campanha infantil inédita.

Para saber mais sobre a campanha, clique aqui.

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE A MAIS DE 100 MIL LEITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Os seus dados estão seguros.

Espere Um Pouco! Temos Um Presente Pra Você.

Conhecer a fé católica é indispensável em tempos de crise, junte-se a mais de 100 mil leitores e tenha acesso aos benefícios abaixo:

Sorteios e Promoções

Artigos e Trechos Marcantes dos Nossos Livros

Diversos Ebook’s

Vídeos em Nosso Canal no YouTube

Cupons com Descontos Exclusivos

Avisos Sobre Novos Lançamentos Editoriais

E muito mais

Os seus dados estão protegidos