fbpx

Adquira sua coleção Ano Cristão com até 40% de desconto!

ACESSAR OFERTA

Meditação na Epístola para o dia 06 de Novembro

São Francisco de Sales nos diz, em sua Introdução à Vida Devota, que a caridade é a principal das virtudes, porque dela derivam as demais. E ele não poderia estar mais certo: tal pensamento está, na verdade, presente nas Sagradas Escrituras. Nesta meditação, o Padre Jean Croiset irá nos levar à uma reflexão profunda na importância que o cultivo à caridade tem em nossas vidas.

Leitura

A leitura de hoje é da primeira carta de São Paulo aos Coríntios, capítulo 13, versículos de 4 a 7:

Irmãos: A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

NOTA — São Paulo mostra neste capítulo 13 de sua primeira epístola aos coríntios a necessidade da caridade, bem como quais são suas obrigações: que deve ser constantemente e que é mui superior à fé, à esperança e aos outros dons de Deus; tendo lhe dado ocasião para lhes explicar esta doutrina, o espírito de divisão que entre eles haviam semeado alguns falsos profetas.

Reflexão

O homem, por mais perfeito que seja, não é nada sem a caridade. E quem poderá ter certeza de possuir esta virtude? Agora sim que não é tão difícil de compreender aquela profunda humildade que se depara nos maiores santos, adornados, como é sabido, de tantas outras virtudes. Não sabem, nem podem naturalmente saber com certeza, se têm caridade. Esta é, contudo, infinitamente mais estimável que o dom dos milagres. Por isso, não quis o Senhor que seus discípulos fossem conhecidos pelo dom de obrar maravilhas, mas pela caridade e pelo amor, que os devia unir uns aos outros: tal foi o distintivo que os deu: “In hoc cognoscent omens” [Por isto todos os conheçam].

A caridade é mais preciosa que todas as ciências. De fato, que sabe o homem mais douto do mundo, se não tem caridade? Se não sabe amar-vos a vós, Deus e Senhor meu? Em vão se farão esmolas abundantes, quantiosas, excessivas; em vão se praticarão sobre o corpo as inocentes crueldades da penitência; se falta a caridade, tudo isto se perdeu, de nada serve. Tal é o espírito da caridade: ela pode suprir em nós o exercício de outras virtudes que não podemos praticar, inspirando-nos o sincero desejo de as praticar. Contudo, o exercício de todas as outras virtudes juntas não nos salvará sem ela.

Sem a caridade, somos vazios

Ainda que houvésseis sacrificado a Deus todos os teus bens na esmola, todos os teus gostos na mortificação, e tua própria vida no martírio, não estarias a Seus olhos justificado, se a caridade não Lhe fizesse também o sacrifício de seu coração. Bom Deus, quantos ficarão aturdidos ao comparecerem no tribunal do Soberano Juiz com uma multidão de obras de muito estrondo, e na aparência virtuosas, com as quais, a seu modo de ver (seja-me lícito explicar-me assim), podiam fazer figura na presença de Deus; quando se pronunciar aquela sentença fulminante: Nescio vos, não vos conheço.

E isto porque todo esse aparato de imaginárias boas obras não foi animado da caridade cristã, sem a qual não é possível agradar a Deus. Quantas pessoas que fazem profissão de virtude; quantos eclesiásticos e religiosos terão merecido a meias neste ponto por aquela secreta inveja, por aquela oculta emulação, por aquela aversão mal disfarçada, por aquelas vingançazinhas inferiores e dissimuladas, que reinam talvez no estado mais penitente e mais santo, e que muitas vezes coexistem com a frequência dos sacramentos, a qual só serve para adormecer uma alma em suas más disposições, e para lhe ocultar o perigo de se perder, em que vive uma pessoa a quem falta caridade!

Garanta já a sua edição!

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.” Assim nos diz o Apóstolo sobre o nosso dever de manter sempre esta tão sublime virtude: sem ela, todo o resto é pó e terra.

Por isso, acesse o site da campanha e garanta já a sua edição do Ano Cristão! Nesta primeira parte de nossa campanha, você receberá os três primeiros tomos. Referentes aos meses de Janeiro, Fevereiro e Março, eles serão de indispensável auxílio para a formação da alma e para a educação espiritual de todo seguidor de Cristo!

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


1 Comentário

  • Felipe disse:

    Excelente Meditação!
    ??

  • JUNTE-SE A MAIS DE 100 MIL LEITORES

    Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade