Livro aberto

Resenha do livro A Mulher Como Deveria Sê-lo

O livro “A Mulher como Deveria sê-lo” é destinado para a formação moral das mulheres.

Lede e relede este livro com atenção; nele não encontraras os atrativos de um enredo, nem as sedutoras emoções de um romance, receberás porém salutares conselhos, dados por um sábio e experiente mestre.

Sobre o autor:

Primeiramente vamos falar do nosso autor. O Autor do livro “A Mulher Como deveria Sê-lo” é o Padre Marchal, ele escreveu esta obra ainda no século passado.

Um sacerdote holandês, oblato de Maria Imaculada, que dedicou sua vida à missão. Morreu aos 40 anos de idade, debilitado por uma profunda anemia. Ele diz:

“Agradeço ao Sagrado Coração todos os dias por me dar uma vocação tão linda, ao mesmo tempo em que lhe peço que me torne mais e mais digno”.

Sendo assim “A mulher como deveria sê-lo” reflete a sabedoria deste sacerdote e a profundidade de sua vida espiritual. Traz uma leitura poética e consoladora para as almas, mas não deixando de ressaltar o heroísmo e posicionamento firme que deve adquirir quem a salvação deseja alcançar.

Sobre o livro:

A mulher é salva pelo Cristianismo!

Inicialmente o livro descreve um histórico da dignidade da mulher, desde a existência da humanidade até o cristianismo. Desse modo relata como pela triste consequência da queda primitiva a mulher se reduziu à um grau de escravidão. No entanto isto se transforma pelo sim de Nossa Senhora que traz ao mundo a salvação. Destaca quanto Jesus Cristo fez pela mulher o que é garantido pelo cristianismo até os dias de hoje.

A piedade tem por princípio o amor de Deus; o amor estimula-o o reconhecimento; e o reconhecimento deve crescer no coração em proporção dos benefícios recebidos. Ora, havendo a mulher recebido do Salvador mais benefícios que o homem, justo é que ela lhe tribute maior amor.

Além disso, a leitura promove um reconhecimento de como o salvador Jesus Cristo libertou a mulher. Desperta na leitora uma profunda gratidão e amor, conduzindo de maneira sublime à uma piedade, a qual muito quer Jesus Cristo deste coração, por ele concedido, que tende à amá-lo. Esta piedade, que tanto quer Nosso Senhor, é justa a ser cobrada uma vez sabido o que por sua salvação ele o fez.

O papel da mulher…

De uma maneira muito bela descreve a mulher quanto mãe, esposa e virgem e destaca como através destes caminhos a santidade pode ser almejada. A doçura feminina que deve ser a lareira do lar, sendo a quem aquece o coração do marido e ilumina o caminho dos filhos. Ainda mais na vida consagrada, como esposa de Cristo que muito dele recebe, porque muito lhe oferta.

Bem como nos próximos capítulos destaca a reta conduta que deve ter a mulher desde sua vida mais íntima e particular até o que pode representar na sociedade. Sendo assim a importância de observar a moral no falar, agir, ser e vestir. Deve ela levar sua vida para Deus de tal modo que pecado algum do semelhante tenha ela que prestar futura conta diante do supremo juiz.

Concluindo

Por tanto, como descrito anteriormente esta obra dedicada a leitura feminina, destaca os principais meios de conduzir o coração a uma vida de amor e temor de Deus. É papel à mulher confiado, ser quem pela delicadeza pode se tornar auxílio no plano divino de salvação dos homens. Sendo assim todas as esferas da personalidade feminina aqui se discutem e se esclarecem o que deve ela então fazer para melhor realizar sua missão.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.